sábado, outubro 31

Vinil ultrapassa CDs em volume de vendas pela primeira vez em 40 anos

Segundo um levantamento feito pela Recording Industry Association of America, acerca das tendências da indústria da música em solo norte-americano, as vendas de vinil ultrapassaram a dos CDs pela primeira vez desde a década de 80. No primeiro semestre de 2020, as vendas de álbuns de vinil cresceram cerca de 40% em relação ao mesmo período do ano anterior, movimentando na economia pouco mais de US$ 230 milhões.

Além disso, o levantamento também abordou alguns temas já previstos, como o aumento na influência dos serviços streaming, que cresceram mais em relação ao volume de vendas de álbuns físicos. As vendas físicas, por sinal, tiveram uma queda de cerca de 20%, arrecadando um montante de US$ 376 milhões.

São vários os fatores que contribuíram para essa queda, sendo a maior parte deles atrelados à pandemia de covid-19, como o fechamento de diversas lojas e o adiamento de novos álbuns que seriam lançados esse ano por artistas que precisaram adiar sua agenda de divulgação. Foram poucos os artistas como Taylor Swift que optaram por lançar novos trabalhos no período.

Com a pandemia e a quarentena adotada em vários países, foram observadas algumas mudanças no modo como o público consome música. No geral, as pessoas têm demonstrado uma preferência cada vez maior pelas plataformas de streaming, l que explica o salto no número de assinantes de serviços como o Spotify, que ganhou nada menos que 12 milhões de assinaturas premium durante os seis primeiros meses do ano.

No que diz respeito as receitas do streaming, as mesmas aumentaram mais de 10%, movimentando cerca de US$ 4,8 bilhões no período. De acordo com o relatório, esse montante só não foi ainda maior porque houve uma pequena desaceleração nos ganhos obtidos com publicidade, com a diminuição em 3% dos ganhos com anúncios, tendo em vista que empresas de vários setores estão segurando seus gastos durante a pandemia. Em termos percentuais, a Recording Industry Association of America relatou que o streaming movimentou nada menos que 85% de todas as receitas da indústria musical ao longo do primeiro semestre de 2020, enquanto no ano anterior, havia sido de 79%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *